Psychoria viridis (chacruna) é uma planta alucinógena com propriedades psicoativas associados com a presença de N,N-dimetiltriptamina (DMT). Esta espécie é principalmente conhecida como um ingrediente da bebida Ayahuasca, mas as folhas secas também são fumadas por usuários recreativos. A planta é controlada na Polônia e França e sua identificação adequada coloca muitos desafios devido ao fato de que o gênero Psicotria é relativamente grande e há outras espécies que são facilmente confundidas com chacruna. O objetivo do presente trabalho foi desenvolver um eficaz procedimento de autenticação para as folhas secas e trituradas de P. viridis, a ser utilizado em comparação com as características químicas e botânicas dos seus produtos comerciais. Folhas secas de P. viridis originárias do Brasil, Peru e Havaí foram compradas a fornecedores de Internet. Para a identificação DMT, foram elaborados, validados e aplicados métodos de cromatografia líquida de alta resolução (HPLC) de camada fina (TLC) e métodos de cromatografia líquida de alta resolução (HPLC). A fim de clarificar as diferenças existentes entre as amostras, foram utilizados métodos quimiométricos. Características botânicas e cromatografia gasosa tandem espectrometria de massa (GC-MS) cromatogramas foram analisados usando análise hierárquica de aglomerado (HCA). Os nossos estudos revelaram uma variedade significativa entre o material vegetal comercializado como P. viridis. O agrupamento de amostras com base nas suas características de micromorfologia e nos resultados de GC-MS não correspondeu bem à presença de DMT. Com base nos nossos resultados, uma identificação incontestável de espécimes secos como P. viridis é muito problemática. É necessário postular alterações na legislação relativa à regulação da P. viridis e substituí-la por DMT como substância controlada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.